Por que sentimos atração por outras pessoas?

A atração ainda é um fenômeno que não pode ser explicado de maneira precisa. Apesar dos muitos estudos realizados neste sentido, não foi possível determinar uma causa que explique, de maneira clara e conclusiva, por que sentimos atração por outras pessoas. Tudo o que foi possível extrair destes estudos é que há uma mistura de fatores químicos e culturais que fazem com que algumas pessoas se conectem entre si, e outras não. Se você quer saber quais fatores têm influência neste estranho processo, leia com atenção.

A aparência física

Um dos fatores mais evidentes da atração é a aparência física. No entanto, também neste fator não há regras 100% definidas. No geral, e de acordo com as pesquisas realizadas nestes estudos, os seres humanos se sentem atraídos por pessoas que têm um alto grau de simetria facial. Em relação ao corpo, também há algumas regras que devem ser cumpridas. A relação entre a cintura e os quadris, nas mulheres, ou entre os ombros e cintura, em homens, são fatores que muitas vezes podem desencadear a atração.

A genética

De certa forma relacionada ao aspecto físico, a atração por determinados tipos pode ser explicada por um desejo inconsciente de que nossa descendência tenha os melhores genes. As mulheres que se sentem atraídas por homens fortes ou musculosos entendem que este tipo de homem tem os melhores genes e que estão preparados para defendê-las de qualquer ameaça. Por sua parte, os homens são atraídos por mulheres com peitos grandes, pois interpretam inconscientemente que são companheiras que podem alimentar melhor sua prole. Essa atração não acontece de maneira consciente por essas razões, mas está implícita em nosso código genético, como resultado dos tempos em que esses fatores eram essenciais para a sobrevivência da espécie.

Semelhança familiar

É muito comum que haja mulheres que se apaixonam por homens parecidos aos seus pais, e homens se apaixonem por mulheres que são parecidas com suas mães. Não se trata de nenhum tipo de complexo psicológico, simplesmente estamos acostumados com este tipo de físico e comportamento, e assim, estabelecemos uma conexão positiva com eles. Como são os traços de nossos pais, as pessoas que nos cuidaram e se preocuparam conosco, ao encontrarmos pessoas que têm essas características em comum com eles, tendemos a avaliá-las positivamente, e isso pode resultar em atração.

Afinidade cultural

Ter em comum experiências semelhantes ou referências culturais, valores e gostos parecidos é uma forte fonte de atração. Quando falamos com uma pessoa que gosta das mesmas coisas que nós, e que vê a vida de maneira parecida, uma corrente de simpatia é gerada, cuja intensidade pode variar desde a simples amizade até o desejo de tornar a pessoa sua parceira.

Admiração

Curiosamente - e aqui reside um dos grandes mistérios da atração - não nos atraímos somente por quem é semelhante a nós, mas também por quem é muito diferente e tem algo que nos falta. Todas as pessoas têm uma série de virtudes e defeitos, e no geral, tendemos a admirar as pessoas que se destacam naquilo em que não conseguimos alcançar seu nível. As pessoas tímidas admiram o caráter extrovertido, e inversamente, aqueles que são um turbilhão de atividades, valorizam as pessoas tranquilas. Ambos valorizam características que lhes faltam, e a admiração é o primeiro passo para a atração.

Proteção

Este mesmo fenômeno de complementaridade se dá com a proteção. Em grande parte das vezes, a mulher pretende encontrar um homem com quem se sentirá protegida, um companheiro que lhe garante estabilidade e tranquilidade. No caso dos homens, isso funciona no sentido inverno: sua atração se produz pela sensação de valor que sente ao saber que é o membro mais forte do relacionamento, e seu papel é que dá sentido à sua vida. Saber que outra pessoa precisa dele o faz se esforçar para atender às expectativas, e ele acha extremamente satisfatório poder cumprir os desejos de proteção dela.

Mistério

Não conhecer alguém a fundo, perguntar coisas sobre alguém, também é um motor de atração. Por um lado, pelo desejo de saber mais, mas também porque, de maneira inconsciente, muitas dessas lacunas geralmente são preenchidas com a atribuição de virtudes imaginárias. É muito comum que, se uma pessoa nos chama a atenção por um algum motivo, e não sabemos quase nada sobre ela, terminemos por imaginar uma série de características positivas para fazê-la se encaixar em nossa percepção inicial.

Personalidade

A personalidade em seu conjunto é um dos fatores que mais influenciam na atração. Há traços que admiramos e outros que detestamos, e quando uma pessoa tem um grande nível dos primeiros, a atração aparece. No entanto, ainda que haja traços de personalidade que são, em teoria, mais atraentes do que os outros, não há uma personalidade que seja atraente para todo mundo. Cada um tem um critério diferente para medir os traços da personalidade e, portanto, o que para uns pode ser uma personalidade atraente, para outros pode causar rejeição.

Química

Aqui é que está o verdadeiro cerne da questão. Podemos encontrar uma pessoa que cumpra todos os requisitos que julgamos necessários para sentir atração, e ainda assim, essa atração não acontecer. Na paixão há um grande componente de química, em que a aparição de determinadas substâncias, geralmente as endorfinas, encefalinas e feniletilamina, causam esse estado de euforia permanente em que vivemos quando nos apaixonamos.
Por que essas substâncias aparecem em alguns casos e em outros não? Os motivos são incontáveis. A risada de uma pessoa, sua voz, sua forma de andar ou olhar... qualquer um desses detalhes pode motivar uma reação em cadeia que inunda o cérebro dessas substâncias e nos faz perder a razão.